Sobre , ,

Festival Mada leva atrações confirmadas para edição 2021 e acrescenta novo nome: É Djonga!

Festival confirma mudança para 2021, mas mantém programação já anunciada antes da pandemia, como Emicida, Letrux, Afrocidade, Terno Rei e Gloria Groove. A produção promete mais surpresas até a próxima edição

A 22ª edição do Festival MADA estava em contagem regressiva quando veio a pandemia do novo coronavírus e forçou todo o segmento cultural mundial a remanejar suas atividades. Passados seis meses da crise sanitária e sem prazo para a retomada dos eventos culturais presenciais, a organização do festival decidiu eleger uma nova data, não sem antes garantir que os artistas já anunciados seguissem juntos na programação.

Portanto, Emicida, Letrux, Terno Rei, Afrocidade e Gloria Groove carimbaram seus passaportes para próximo Música Alimento da Alma, nos dias 15 e 16 de outubro de 2021, no Arena das Dunas, em Natal-RN.

Para animar a moçada, o MADA também acrescenta uma nova atração ao lineup: É DJonga, um dos nomes do rap mais relevantes da atualidade. Sucessos como “Todo Errado”, “Não Sei Rezar” e “Procuro Alguém”, do último álbum “Histórias de Minha Área”, lançado este ano, não saem das playlists mais ouvidas de 2020.

“O MADA é um festival que vai além dos shows, é um lugar de interação e vivência cultural. Não faria sentido fazer o festival apenas em formato live”, comentou o produtor Jomardo Azevedo. Segundo ele, a ideia agora é planejar uma edição maior, inclusive com possibilidade de ser inserido no calendário das atrações internacionais.

O festival também vai anunciar, quando iniciarem os protocolos de flexibilização, as ativações do MADA a partir do final de 2020 até 2021, incluindo o MADA Faz Escola, projeto pioneiro de música, formação e educação.

“Vimos grandes festivais nacionais e internacionais adiarem suas programações para o ano que vem e decidimos seguir por que sabemos que o momento não permite que possamos fazer um festival como sonhamos”, comentou o produtor. Jomardo acrescenta que embora não tenha festival virtual, o MADA fará algumas ações online.

O comunicado com a mudança de datas está sendo anunciado nesta sexta-feira, 4 de setembro, em todas as redes sociais do MADA no Twitter @FestivalMada, Facebook/ FestivalMada e Instagram/FestivalMada.

Na página da Sympla, as vendas continuarão abertas até 2021. Para os que já adquiriram os ingressos para edição de 2020, os mesmos seguem válidos para a edição de 2021. E aos interessados no reembolso, ele pode ser solicitado somente através do e-mail >>[email protected]<<.

Sobre o MADA

A estreia do MADA aconteceu em 1998, época de grande efervescência do movimento indie no Brasil, quando a cena alternativa se abastecia de artistas e bandas criativas, inventivas, ousadas. Ambiente propício para um festival que proporcionava visibilidade à nova contracultura brasileira. Idealizado pelo engenheiro civil e produtor musical, Jomardo Jomas Azevedo, o festival alavancou o histórico bairro da Ribeira e integrou o primeiro calendário brasileiro de festivais, ao lado de Abril pro Rock, Porão do Rock, Goiânia Noise e outros.

A produção, sempre caprichada e a estrutura de palcos lados a lado, idênticos, são exemplo de valorização ao artista independente do seu alcance midiático.  Tornou-se referência na difusão e fomento para músicos e bandas, como também tem um papel importante na formação de plateia crítica e qualificada.  Diferentes lugares já sediaram o festival, como o bairro histórico Ribeira (1998 a 2003), a Arena do Imirá na beira mar da Via Costeira (2004 a 2011), o bairro das Rocas (2012 e 2013) e o Estádio de futebol Arena das Dunas (2014 a 2019). Ao longo de sua trajetória, o MADA realizou shows de mais de 600 bandas e artistas independentes, grandes atrações nacionais e internacionais.

Festival #MADA22
Dias 15 e 16 de outubro de 2021
Arena das Dunas

O que você achou disso?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...

0

Natal Fest Gourmet terá edição virtual e Menu para entrega ou no restaurante

“Setembro Amarelo” reforça a necessidade de apoio e cuidados em relação aos casos de depressão